Galeria

Biocombustíveis são um desastre ecológico?

A produção em larga escala de biocombustíveis, feitos por meio de soja, milho e alguns tipos de palmeiras, pode agravar a destruição de florestas tropicais. Além do receio de que a Amazônia seja tomada por plantações de milho e soja, países como a Malásia e Indonésia também começam a fazer projeções negativas sobre os biocombustíveis. Conservacionistas da Indonésia alertam para uma perda de 98% de suas florestas em quinze anos. A razão seria o plantio de uma palmeira utilizada na produção de biocombustível. O processo de destruição de importantes ecossistemas já pode ser notado no Borneo. Ambientalistas da região denunciam que uma área de 250 hectares (o equivalente a 250 campos de futebol) já foi destruída nos últimos anos pelo governo local para o plantio da palmeira. Caso as plantações continuem nesse ritmo estima-se que a Indonésia perca 2,8 hectares por ano de floresta. A organização não governamental Borneo Orang-utan Survival Foundation afirma que espécies ameaçadas como o tigre, o elefante e o orangotango serão os primeiros a sofrerem o impacto com a destruição das matas.

No Brasil, uma moratória conquistada por ambientalistas proíbe o plantio de soja em novas áreas desflorestadas da Amazônia. Mas, pesquisadores da região já temem que culturas como a cana de açúcar e a soja gerem novos desmatamentos nas próximas décadas. Os combustíveis verdes, ou biocombustíveis, são a nova vedete das discussões sobre o aquecimento global. E a esperança de alguns países para reduzir suas emissões de gases que esquentam o planeta. Mas será que vale a pena derrubar florestas para esse fim?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s