Galeria

Moqueca de Abrolhos

Esta semana a Justiça Federal anulou a portaria do Ibama que estabeleceu a Zona de Amortecimento do Parque Nacional Marinho de Abrolhos, na Bahia. A medida é o passo que faltava para a implantação de um mega-projeto de criação de camarões (carcinicultura) em uma das restingas que separa o continente do arquipélago. Caso o empreendimento aconteça, pesquisadores temem que a poluição dos tanques de criação de camarão possa destruir os bancos de corais (como o da foto) e mangues da região. Ontem, o recém criado órgão federal Instituto Chico Mendes (que herda as funções de conservação do Ibama) divulgou nota afirmando que irá recorrer da decisão da Justiça Federal de Brasília.

O Brasil tem cerca de 4500 quilômetros de costa. Mas os criadores de camarão estão interessados justamente no trecho em frente a Abrolhos. Além de atração turística e patrimônio nacional, os corais da região de Abrolhos são considerados fundamentais para a pesquisa dos efeitos das mudanças climáticas nos oceanos. Por serem as formações mais antigas dos mares, eles são mais resistentes ao aumento de temperatura. Resta saber se Abrolhos será resistente também a poluição gerada pelos tanques de camarões.

Para saber mais, consulte o site da Conservação Internacional.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s